Três dicas do #dezembrolaranja para prevenir câncer de pele

Medidas fotoprotetoras e acompanhamento médico são essenciais

Da Redação / Ecológico - redacao@revistaecologico.com.br
Saúde
Publicado em: 03/12/2018

A campanha “Dezembro Laranja”, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), completa cinco anos. Com a intenção de estimular a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de pele, a entidade escolheu o mês em que se inicia o verão para realizar uma série de ações voltadas à conscientização. O mote deste ano é “Se exponha, mas não se queime”.

“A SBD transformou esse problema de saúde pública na causa da luta contra o câncer da pele. A boa notícia é que tudo indica que as ações da Sociedade estão surtindo efeito. Parece que estamos no caminho certo”, avalia o coordenador nacional da Campanha Prevenção ao Câncer da Pele da SBD, Joaquim Mesquita.

Campanha de 2018:

Questão de prevenção

Respondendo por 30% de todos os tumores malignos registrados no Brasil, o câncer de pele é o tipo mais frequente no país de acordo com o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). A boa notícia é que, se detectada precocemente, a doença apresenta altos percentuais de cura. Por isso, fique atento.

Qualquer um pode desenvolver câncer de pele, mas a questão merece atenção redobrada quando se passa dos 40 anos. Sendo que as pessoas de pele clara (sensível à ação dos raios solares e com doenças cutâneas prévias) são as principais vítimas. Conforme estimava feita pelo INCA, a incidência no biênio 2018/2019 será maior entre os homens: eles responderão por 51,4% dos 165.580 casos estimados.

O melhor remédio – você já sabe – é prevenir. Confira e pratique estas três recomendações:

A primeira delas é evitar sempre que possível a exposição ao sol, principalmente nos horários em que os raios são mais intensos (entre 10h e 16h), bem como utilizar óculos de sol com proteção UV, roupas que protegem o corpo, chapéus de abas largas, sombrinhas e guarda-sol. Atualmente, estão disponíveis roupas e acessórios com proteção UV, que dão maior proteção contra os raios solares.

Não basta aplicar o protetor solar de qualquer jeito, é preciso seguir algumas dicas. Conforme a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o produto deve proteger contra os raios UVA e UVB. Cuidado para não comprar gato por lebre. Há produtos cosméticos que prometem proteção, mas não são efetivos em prevenir o câncer e o envelhecimento precoce da pele.

É preciso aplicar o produto 30 minutos antes da exposição solar, para que a pele o absorva. O indicado é distribuí-lo uniformemente em todas as partes de corpo, incluindo mãos, orelhas, nuca e pés. Atenção na piscina e na praia, onde é importante reaplicar o protetor a cada duas horas, sendo que esse tempo diminui se houver transpiração excessiva ou se você entrar na água.

Procurar um médico é fundamental para diagnóstico e tratamento corretos. É indispensável procurar ajuda quando notar manchas descamativas, que coçam ou sangram; pintas que mudam de tamanho, forma ou cor; e feridas que não cicatrizam em quatro semanas.

Consulte o dermatologista da sua confiança no caso de dúvidas. Os postos de saúde e hospitais públicos também oferecem atendimentos preventivos, para diagnóstico e tratamento. Não demore na busca por orientação.

(Fontes: INCA e SBD)