Veja na íntegra o discurso de Greta Thunberg no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça

Ativista sueca, de 17 anos, pediu mudanças por parte dos empresários e alertou para casos específicos do planeta, como a derrubada da Amazônia
Matheus Muratori - redacao@souecologico.com
Política Ambiental
Publicado em: 22/01/2020

A jovem ativista ambiental sueca Greta Thunberg, de 17 anos, discursou nessa terça-feira (21) no Fórum Econômico Mundial, que acontece anualmente no fim de janeiro em Davos, na Suíça. A adolescente alertou sobre a necessidade de mudança da mentalidade do empresariado para conter os impactos das alterações climáticas e citou casos específicos, como a recente crise do desmatamento na Amazônia e a política ambiental dos Estados Unidos, para exemplificar. Veja, abaixo, o vídeo do discurso (entre 2:02 e 10:00).

O Sou Ecológico separou a íntegra do discurso de Greta Thunberg no fórum deste ano. Leia abaixo:

“Há um ano, vim a Davos e disse que nossa casa estava pegando fogo. Eu disse que queria que vocês entrassem em pânico. Fui avisada de que é muito perigoso fazer com que as pessoas entrem em pânico com a crise climática. Me disseram: ‘Não se preocupe, está tudo bem’. Confiem em mim, eu já fiz disso antes e garanto que isso não leva a nada. Para constar: quando nós, crianças, pedimos para vocês entrarem em pânico, não estamos dizendo para vocês continuarem a fazer como antes. Não estamos dizendo para vocês confiarem em tecnologias que nem existem hoje em grande escala e que a ciência diz que talvez nunca existam.

Não estamos dizendo para continuarem falando sobre alcançar ‘emissões líquidas zero’ ou ‘neutralidade de carbono’ enganando e mexendo com números. Não estamos dizendo para vocês ‘compensarem suas emissões’ apenas pagando alguém para plantar árvores em lugares como a África, enquanto ao mesmo tempo florestas como a Amazônia estão sendo abatidas a uma taxa infinitamente maior. Plantar árvores é bom, claro, mas não chega nem perto do que precisa ser feito, e não pode substituir a mitigação das florestas e da natureza. Sejamos claros, não precisamos de uma ‘economia de baixo carbono’, não precisamos ‘reduzir as emissões’. Nossa emissões precisam parar, se quisermos ter uma chance de permanecer abaixo da meta de 1,5 grau. E até termos as tecnologias que em escala podem reduzir nossas emissões, devemos esquecer o zero ‘líquido’, precisamos de zero real.

Como as metas ‘líquidas’ estão distantes de emissão zero, elas não significarão absolutamente nada se continuarmos ignorando o orçamento de dióxido de carbono, que se aplica hoje, não em datas futuras distantes. Se as altas emissões continuarem como agora, mesmo por alguns anos, esse orçamento restante em breve será completamente esgotado. O fato de os Estados Unidos deixarem o Acordo de Paris parece indignar e preocupar a todos, e deveria mesmo. Você dizem: ‘Deixe isso comigo. Nós vamos resolver isso, prometemos que não vamos decepcioná-lo. Não seja tão pessimista’. E então, nada. Silêncio. Ou algo pior que o silêncio. Palavras vazias e promessas que dão a impressão de que ações suficientes estão sendo tomadas.

Obviamente, todas as soluções não estão disponíveis nas sociedades de hoje. Também não temos tempo para esperar que novas soluções tecnológicas estejam disponíveis para começar a reduzir drasticamente nossas emissões. Então, claro, a transição não vai ser fácil. Vai ser difícil. E a menos que não comecemos a enfrentar isso agora e juntos, com todas as cartas na mesa, não conseguiremos resolver em tempo. Nos dias anteriores ao aniversário de 50 anos do Fórum Econômico Mundial, me encontrei com um grupo de ativistas climáticos que pediram a vocês, os mais poderosos empresários e líderes políticos, para que tomassem as ações necessárias.

Denis Balibouse/Reuters - via World Economic Forum
Denis Balibouse/Reuters - via World Economic Forum

Nós demandamos neste fórum para participantes de todas as companhias, bancos, instituições e governos. Interrompam imediatamente todos os investimentos em exploração e extração de combustíveis fósseis. Acabem imediatamente com todos os subsídios aos combustíveis fósseis. E imediatamente e completamente parem de investir nos combustíveis fósseis. Não queremos que essas coisas sejam feitas até 2050, 2030 ou até 2021, queremos que isso seja feito agora. Pode parecer que estamos pedindo muito. E vocês com certeza dirão que somos ingênuos, mas isso é apenas o esforço necessário para começar uma rápida transição sustentável. Então, ou vocês fazem isso ou terão de explicar aos seus filhos porque estão desistindo de meta de 1,5 grau. Desistindo sem nem tentar.

Estou aqui para dizer que, diferente de vocês, minha geração não desistirá sem lutar. Os fatos são claros, mas ainda são muito desconfortáveis. Vocês deixam isso de lado porque acham deprimente e pensam que as pessoas vão desistir. Mas as pessoas não vão desistir, vocês são aqueles que estão desistindo. Na semana passada, encontrei mineiros de carvão na Polônia que perderam o emprego porque a mina foi fechada. E mesmo eles não desistiram. Pelo contrário, eles parecem entender o fato de que precisamos mudar mais do que vocês. Eu me pergunto, o que vocês diriam a seus filhos, qual foi a razão de fracassar e deixá-los diante do caos climático que vocês conscientemente trouxeram sobre eles? Que parecia tão ruim para a economia que decidimos renunciar à ideia de garantir condições de vida futuras sem sequer tentar? Estamos pedindo para vocês agirem, se vocês amam seus filhos sobre todas as coisas. Obrigada”.


Postar comentário