Vereadores vão ouvir mineradoras sobre risco de desabastecimento em BH

Reuniões foram agendadas em audiência da CPI das Barragens
Da Redação* / Ecológico - redacao@souecologico.com
Mineração
Publicado em: 22/07/2019

A CPI das Barragens, da Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH), vai ouvir amanhã (23/07) representantes da mineradora CSN Mineração e da AngloGold Ashanti. Na próxima semana será a vez da Vale. O objetivo é buscar respostas para questões que surgiram durante as investigações da comissão, de forma que as oitivas vão ajudar na elaboração do relatório final.

Criada em fevereiro para apurar os impactos no abastecimento de água na cidade de Belo Horizonte após o despejo de rejeitos de mineração no Rio Paraopeba, causados pelo rompimento da Barragem do Córrego do Feijão da Companhia Vale, em Brumadinho, a CPI das Barragens já recebeu 18 convidados, entre autoridades, setores da sociedade civil e entidades. Conforme a CMBH, também foram feitas várias visitas a minas e mananciais. O prazo para conclusão dos trabalhos é 23 de agosto de 2019.

Abastecimento ameaçado. A captação de água no Sistema do Rio Paraopeba é responsável por cerca de 30% do abastecimento de Belo Horizonte, e foi afetada pelo rompimento da Barragem do Córrego do Feijão.

Devido ao comprometimento da qualidade das águas do rio, a Copasa interrompeu a captação de água do rio no ponto onde ocorreu o evento. Além disso, considerando que o Rio das Velhas é responsável pelo abastecimento de 70% de Belo Horizonte, tornou-se indispensável a apuração das condições das barragens cujo rompimento afetaria diretamente a bacia hídrica em questão, como as dos sistemas Bela Fama e Morro Redondo, além de outros.

*Com informações da Superintendência de Comunicação Institucional da CMBH.


Postar comentário