Volume de óleo retirado do Nordeste chega a mil toneladas

Resíduos oleosos tomam conta das águas do Nordeste do Brasil desde o fim de agosto deste ano
Matheus Muratori - redacao@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 24/10/2019

A Marinha do Brasil informou que, até a última terça-feira (22), mais de mil toneladas de resíduos oleosos (mistura de óleo e areia) já foram retirados das praias do Nordeste do país. O óleo se alastra pela região desde o fim de agosto deste ano, com primeiro registro na Paraíba e depois se alastrando a outros estados, como Pernambuco, Alagoas, Ceará, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe e, mais recentemente, Bahia.

Segundo a Marinha, desse número quase a metade teve a destinação final realizada. Esse trabalho tem sido feito por meio de uma interlocução direta com os estados afetados, articulações com o Sindicato Nacional das Indústrias de Cimento (SNIC) e com a Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP).

Governo ainda não sabe a origem do óleo (Foto: Adema/Governo de Sergipe)
Governo ainda não sabe a origem do óleo (Foto: Adema/Governo de Sergipe)

No encontro, foram identificados possíveis recebedores para esses resíduos coletados, para realizar a destinação final ambientalmente adequada. O objetivo é absorver grande parte do material recolhido para ser reaproveitado em coprocessamento.

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) informou na terça que 72 cidades tiveram as praias afetadas pelo material, ainda de origem incerta para as autoridades. Os navios Aggressor e CBO Niterói, especializados em óleo no mar, da Petrobras, assim como as embarcações da Marinha estão na região para apoiar a identificação e realizar a limpeza da área.


Postar comentário